Publicado por: rivermom | abril 19, 2008

Adeus “trapinho”

Um pouco antes de completar 2 anos o UFO se apegou ao “security blanket”. Não que ele quisesse, mas eu o “forcei” a ter um para ver se reduzia o desejo dele de chupar o dedo. Nada adiantou. Talvez até tenha contribuído.

Geralmente esse “blanket” é um cobertor ou uma fralda, um pano que a criança usa quando está com sono, por exemplo. Eu tentei a fralda e não adiantou. O que ficou mesmo foi a minha canga de praia que eu usava as vezes para cobri-lo durantes as siestas. O problema é que ao contrário da fralda, essa canga tinha 1m de comprimento e ficava sempre “sobrando”. Tanto que ate o BEA se aproveitava de vez em quando de uma ponta.

O pano da canga era fininha e com o tempo foi ficando ainda mais fina até ficar transparente. Ate que um dia começou a rasgar. Partiu-se em 2 pedaços e o UFO chorou. Mas de um lado foi bom porque assim tinhamos 2 panos.

“- Olha só que maravilha, em vez de 1 agora voce tem 2!”

Consolado, ele até gostou e passou a carregar os 2 juntos. Às vezes um escapava para ser lavado, coisa que raramente acontecia antes (verdade!).

E o pano foi nas nossas viagens, Japão e EUA. Na época até tentei arrumar um cachorrinho de pelúcia para substituir o tal pano. O cachorrinho foi junto mas o pano também acabou indo…

Partido em dois, depois foi fácil duplicá-lo. Assim se foi, 3,4,,, até que viraram 5! Mas na época em que quinto pedaço apareceu os dois primeiros ja tinham perdido seu endereço. Lembro que quando fomos ao Japão eram 3. Levamos 2 e 1 tinha ficado em casa. Quando voltamos da viagem só tinhamos 2, inclusive o que estava em casa. O que perdemos deve ter ficado embrulhado no meio dos lençóis do hotel de Shibuya.

E foi assim que o UFO começou a ir na escolinha. Pano na mão, dedo na boca. O pano, companheiro inseparável, não perdeu um dia na escola. Foi talvez graças ao pano que o UFO consegiu sobreviver na escola e a superar a separação comigo.

Mesmo já acostumado a escola, com mais de 3 anos, o UFO ainda continuava apegado ao pano, que agora já parecia mais um “trapo”. O que restou do pano da canga, de tão fino, era só fiapos que ele fazia questão de rasgar mais e mais.

Um dos trapos chegou a estar perdido na sala da Lily (na escola) por meses. Até que quando a escola entrou em recesso em outubro e fizeram uma limpeza geral na sala dela encontraram o precioso “pano” entre as almofadas do sofá. Alguém da escola chegou a ligar para avisar do “achado” e se quiséssemos poderíamos ir buscá-lo imediatamente.

Agradeci a consideração, de verdade. Mas eu estava planejando um  jeito de fazer o UFO “esquecer” o tal pano e ele ja estava sobrevivendo sem nenhum por quase 1 semana. Na verdade ainda tinha mais um pedaço em casa, escondido, que eu já estava considerando guardá-lo como peça de museu. Mas foi só ele ouvir o telefonema para insistir em ter o pano de volta. Acabei cedendo o que tinha em casa…

Aos 3 anos e meio, quando minha mãe esteve aqui em dezembro de 2007, de tão irreconhecível que estava o pano, o UFO já o chamava de “boro-boro” em japones. O BEA o repetia de “bolo-bolo”.

Depois, talvez durante o Ano Novo Chinês, mais um pedaço se foi. Aleluia, agora o último pedaço deveria tomar o mesmo fim até não mais que o aniversário de 4 anos. O dedo (de chupar) teria de ir junto também!

No entanto não precisei esperar tanto tempo assim. Foi só o UFO entrar de férias em março, e aconteceu tudo naturalmente, sem trauma.

Num domingo em que fomos ao Central World Plaza (WCP), lembro-me de ter visto o UFO com o pano no carro. E talvez ele o tenha carregado para o restaurante japonês (Ootoya) e talvez ainda para o playground. Não sei exatamente quando e onde, mas desde que chegamos em casa não lembro de ter mais visto o trapo em lugar algum.

Passaram-se uns dias e o UFO ainda insistia no “pano”, principalmente na hora de dormir. Finalmente ele parece ter entendido que não adiantava insistir. Até, de consolo, mostrei-lhe uma outra canga, mesmo material só que de outra cor e não adiantou. O “pano” era insubistituível. Talvez porque o tecido ainda era novo, não tinha fios acabelados e não era tão transparente, esse não era o mesmo.

E foi assim, que com 3 anos e 8 meses o UFO finalmente largou do tal do “security blanket”.

“-Adeus trapinho !”

Só me falta agora ele aparecer de novo entre as almofadas do sofa ou debaixo da cama !

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: